Sejam Bem Vindos

Olá,
Fiquem a vontade para navegar no meu blog, temos aqui a finalidade é discutir questões relacionadas a Educação, Tecnologia, Religião, Política, Sociedade, Historia, Prática Pedagógica, Pedagogia Empresarial etc. Bem como manter o público atualizado sobre os eventos (cursos,seminários,congressos, amostras culturais etc) que acontecem na área de Educação e/ou tecnologia.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Para ter sucesso é preciso foco, estratégia e trabalho


Quando você tem um objetivo bem definido e coloca toda a sua energia nele, o resultado dessa dedicação acaba aparecendo.

Osho conta que certa vez estava procurando um jardineiro para cuidar de suas flores. Todo ano ele ia assistir a um concurso de rosas que existia em sua cidade natal e que premiava o criador do mais belo exemplar. Osho gostava de apreciar as flores, apesar de achar que a competição era injusta, pois o premiado era o dono do jardim e nunca o jardineiro. Havia um militar que sempre ganhava e Osho ficou curioso para saber quem era o seu jardineiro. Um ano, após ver o homem vencer mais um concurso, ele seguiu o militar até sua casa. O sujeito entrou com a sua rosa premiada sem ao menos cumprimentar o jardineiro. Osho resolveu conversar com o jardineiro para descobrir o seu segredo.

Comentou que a rosa dele havia ganho o primeiro lugar no concurso e o jardineiro nem deu atenção ao fato, pois disse que para ele o importante era cuidar das rosas e não saber o que acontecia com elas.

Então o jovem Osho perguntou qual era o seu segredo... E o jardineiro respondeu:

— O segredo é escolher o botão mais bonito e cortar todos os outros, porque a roseira tem uma quantidade limitada de seiva para os botões. Se eu deixar todos os botões, nenhum receberá a quantidade necessária de alimento para atingir todo o seu esplendor.

Em nossa carreira profissional pode acontecer o mesmo fenômeno: se você colocar a sua energia em várias atividades ou distrações ao mesmo tempo, seus esforços acabarão se dispersando e no final das contas você não verá seus esforços florescerem.


Em nossa carreira profissional pode acontecer o mesmo fenômeno: se você colocar a sua energia em várias carreiras ao mesmo tempo, seus esforços acabarão se dispersando e no final das contas você não verá seus esforços florescerem.

Por causa dessa dispersão, infelizmente eu tenho visto muitas pessoas transformando seus sonhos em pesadelos. Muitos jovens sonham com carros importados e casas luxuosas, mas no final das contas acabam andando mesmo é de ônibus. Aprenderam a sonhar, mas não aprenderam a criar os recursos necessários para criar suas vitórias.

Trabalham frustrados porque não sabem o que querem, não têm consistência em suas ações e veem o trabalho como uma obrigação desagradável.

Nesses trinta anos de carreira, tenho trabalhado com muitos profissionais e tenho visto talentos se perderem por falta de foco: alguns não têm uma estratégia, outros não se importam em desenvolver suas competências e outros ainda não sabem trabalhar com dedicação.

Se atentarmos a este último, perceberemos que o mundo do sucesso estimula a ilusão de que é possível ter sucesso sem trabalho. Resultado: muitas pessoas se frustram e outras acabam fazendo qualquer negócio para ter sucesso, e quando acordam percebem que foram usadas como uma jovem atriz pornô.

Há caminhos objetivos, que evitam que você se distraia e se perca durante a caminhada, mas o caminhar é fundamental. Não se iluda: o único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.
PENSE NISSO E MANTENHA O FOCO!!!!!

por Roberto Shinyashiki

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Em Que O Endomarketing Influencia Dentro Das Organizações?


A falta e/ou a má qualidade da comunicação em todos os níveis dentro da organização contribui muito para um serviço não confiável. A comunicação que se busca com o Endomarketing transcende a comunicação tradicional de apenas transmitir algo. O que se busca é o entendimento e alinhamento. Todos devem entender o que fazer por que e como seus resultados se relacionam aos dos outros e aos objetivos gerais da organização.



Endomarketing é um meio de comunicação interna voltada para seus colaboradores da empresa que busca estratégias do marketing interno para que venha ser utilizado como meio de abordagem no mercado e também no ambiente da empresa.

O endomarketing tem como objetivo trazer motivação, qualidade de vida, informação e valorização de seus colaboradores, visando uma mudança construtiva. E para isso é necessário que haja ferramentas do marketing que solucionarão problemas de comunicação e informação. Pode-se criar projetos e ações que venham consolidar um comprometimento entre seus colaboradores e a organização. A função do endomarketing é muito ampla devido a implantação de treinamentos nos setores, criando assim uma imagem positiva da empresa,atraindo então melhorias do clima organizacional entre patrão, funcionários, fornecedores e clientes. É importante ressaltar os valores e objetivos que a empresa tem com seus colaboradores, levando então assumir um compromisso para que venham alcançar as metas,mostrando assim uma confiança e valorização de seus colaboradores.

No endomarketing há uma ferramenta essencial que é os Recursos Humanos que têm como objetivo manter uma visão e fortalecimento das relações interpessoais, focando no mercado e principalmente no cliente.

A função dos Recursos Humanos é criar uma boa comunicação e manutenção interna da empresa, aplicando ferramentas do marketing, porém destacando seus valores, cultura e objetivo.

Todas as medidas são bem vindas para o ambiente corporativo, que antes de conquistar o mercado e o cliente é necessário que a empresa priorize o plano de envolvimento de sua administração, para que possa obter excelência e alcançar a satisfação de seus colaboradores.

Por: Luciene Mendes
em: http://www.mastigacaodagestao.com.br/2013/08/em-que-o-endomarketing-influencia.html

quarta-feira, 24 de julho de 2013

A técnica da pergunta no feedback

O feedback é um ato de comunicação, mas a sua dinâmica é fortemente baseada em um “jogo de percepções”. São diversas as sensações e sentimentos que o feedback provoca


O feedback é um ato de comunicação, mas a sua dinâmica é fortemente baseada em um “jogo de percepções”. São diversas as sensações e sentimentos que o feedback provoca. Evidentemente se temos um recrudescimento da influencia emocional é normal que a lógica e a sensatez fique prejudicada.
E por estar vinculada a uma observação sobre um trabalho realizado sempre fica a sensação de intromissão. O sentimento de preocupação aflora: “Será que não agradei com a minha ação”? “O que será que ele quer desta vez”? “Porque ele só percebe quando erro”?
Ambiente propício para “defesas”, racionalizações e bloqueios que dificultam uma melhor compreensão da ação de feedback. É uma enorme perda pois perde-se o aproveitamento de um dos mais importantes recursos para o desenvolvimento.
Por isso algumas técnicas pode nos auxiliar a administrar o ambiente e conduzir o processo para o melhor resultado. E a que queremos apresentar agora é a “técnica da pergunta”. Vocês sabem que, muitas vezes, para a descoberta da verdade a pergunta é mais importante que a resposta.
Uma frase atribuída á Confúcio diz: “Eu não procuro saber as respostas. Procuro compreender as perguntas”.Em suma utilizar a pergunta como recurso para administrar o ambiente e a condução do feedback é exemplarmente eficaz. A pergunta, se colocada de forma amigável, conduz á um diálogo e a um equacionamento das tensões. Antes disso o diálogo transforma-se em disputa.
Por questão didática vamos dividir a prática da pergunta no feedback em três momentos:
1.  A primeira fase da técnica é a de Reconhecimento, quando procuramos posicionar o fato.
Mesmo que tenhamos muitas informações é importante começar com perguntas como:
“O que aconteceu”? / “Como está a situação?”, sempre dando espaço para o outro explicar-se. Procure primeiro entender a situação para só depois entender como aconteceu o desvio.
Não precisamos nem mesmo forçar muito. Perguntas como essas como essa levam á abertura. Muitos problemas conseguem resolver-se nessa fase quando permitimos a expressão e o entendimento.
Pergunte! Aguarde mais informações. Ouça. Sempre há mais informações quando damos oportunidade para ela aparecer. Se não ficou claro nesta fase vá á seguinte.
A fase seguinte é a Exploratória, quando procuramos entender com mais profundidade buscando, inclusive, conhecer a origem do problema. Na questão do feedback é fundamental entender o que causou o desvio, pois para solucionar é necessário trabalhar a origem. Caso contrário a possibilidade de repetir-se o problema aumenta muito.
Um pergunta poderosíssima desta fase é: “POR QUE?”. Esta simples pergunta tem um poder enorme de trazer à tona as razões, motivos, origens do fato. Provocando uma reflexão sobre todo o processo de ação. Nesta fase é comum percebermos os fatos que provocaram os desvios do alvo principal.
Sim porque não cabe a resposta “Porque sim”. Essa resposta só é permitida ás Mães para as crianças pequenas, muito pequenas. É, talvez nem isso mais.
O interessante da pergunta “Por que” é que ela pode ser repetida diversas vezes sem ser repetitiva. É, apenas, exploratória. O por que aconteceu assim? Por que Vc pensou isso? Por que achou que daria certo? Aproveite, pesquise. Vai ajuda-lo a entender e vai permitir que o outro reflita sobre questões novas.
Nesta fase também usamos um recurso que ajuda significativamente para clarear o sentido da comunicação. É a repetição da frase dita pelo outro, mesmo que com outras palavras. É o recurso de “parafrasear” o interlocutor. Repita o que foi dito para gerar reflexão. Por exemplo: “Quer dizer então que.....” ou, “Você está dizendo que achou que ele não iria....”
Esta ação permite ao indivíduo melhorar a auto percepção. Transforma-o num espectador de si mesmo, e, dessa forma, muitas vezes, permite-lhe corrigir a interpretação equivocada ou, até mesmo, não consciente até esse momento. A fase seguinte deve ser dirigida para a ação de reorientação.
Esta terceira fase denominamos de Conclusiva, porque terá que ser assim. Não há retórica nas orientações derivadas de um feedback. Temos que ser objetivos e práticos de maneira a realmente clarificar a função de Reorientação do feedback.
É fundamental esclarecer todos os pontos a começar pela preocupação, da chefia, em orientar o melhor caminho. É o exercício da função. Todos os subordinados devem ter a clara consciência de que o feedback é uma ação obrigatória da gestão. Lembrem-se de que a ação de Feedback é uma “ação cumplice”! Todos estão no mesmo barco a procura do melhor resultado!
Definir a orientação e analisar o desvio como função de aprendizagem e desenvolvimento são ganhos substanciais do processo de feedback. Não defina apenas a solução. Aproveite para trabalhar as razões que levaram ao desvio. Também se aprende muito com as falhas (ou até mais).
Aproveite o melhor possível a sua ação de Feedback. Percebeu que Você pode utilizar bem as perguntas para conduzir o processo?

domingo, 23 de junho de 2013

NÃO É SÓ POR VINTE CENTAVOS



Brasil está vivendo um período de mudanças.  Uma Revolução Pacífica está acontecendo por todo o território nacional e no dia 17/06/2013 se tornou uma manifestação de proporções épicas. Com a gota d’água do aumento de  das passagens de ônibus urbano pelo Brasil afora, O povo brasileiro indignado e saturado atingiu massa crítica e explodiu num misto de revolta e desejo reprimido. Um número gigantesco de brasileiros foi às ruas para reivindicar melhores condições de vida.#OGiganteAcordou

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

MASTIGAÇÃO da Gestão: Senso Crítico & Criatividade: Questão de Sobrevivê...

MASTIGAÇÃO da Gestão: Senso Crítico & Criatividade: Questão de Sobrevivê...: Não basta ter bons trabalhadores.  Para serem inovadoras, organizações precisam quebrar paradigmas e incentivar o pensamento criati...

“O processo de inovação não deve ser atrelado ao resultado do próximo mês, muito menos com o objetivo de superar momentos de crise. Ao contrário, uma empresa inovadora terá mais chances de sobreviver aos períodos de turbulência”.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Cinco dicas para começar bem a segunda-feira


Especialista dá sugestões de como transformar sua segunda-feira em um dia mais produtivo

por: Bárbara Ladeia 

O despertador pela manhã é o anúncio do fim do descanso. Depois de dois dias de folga, chega a segunda-feira, que mais parece um monstro pronto para te atacar.
"A segunda-feira é o dia com menor índice de execução de tarefa e maior índice de adiamento", afirma Christian Barbosa, especialista em produtividade e dono da Triad Consulting. "Começamos a segunda-feira ainda na velocidade do final de semana, demoramos mais para pegar no tranco."  
Conclua as tarefas de sexta-feira No entanto, com um pouco de organização e força de vontade é possível tornar a segunda-feira um dia mais agradável e, principalmente, mais produtivo. Confira as dicas do especialista para começar a semana com o pé direito e evitar a desorganização nos quatro dias que seguem a segunda-feira.
O lema "não deixe para amanhã o que se pode fazer hoje" é o que fala mais alto no planejamento semanal. Sempre que possível, evite deixar atividades por terminar na sexta-feira. Se for inevitável, distribua o restante da atividade nos três primeiros dias da semana. "É melhor não deixar para terminar tudo na segunda-feira", diz.
Esqueça as reuniões no começo da semana
O ideal, segundo o especialista é marcar as reuniões de planejamento nas quartas, quintas e sextas-feiras. "Nós já estamos em um ritmo mais lento no começo da semana, reuniões acabam tomando muito tempo e sobra pouco para a organização das tarefas pessoais", diz.
Evite planejar excessivamente a sua segunda-feira
Por incrível que pareça, Christian sugere que apenas três ou quatro horas do dia sejam dedicadas a atividades previamente marcadas. "Você precisará de mais tempo para a organização da semana, portanto, evite encher a segunda de compromissos."
Tome notas
Christian aconselha utilizar ao menos um organizador prático como o Outlook, uma planilha de atividades ou até mesmo um bloco de notas. "Não podemos confiar na memória, caso contrário perdemos a concentração nas atividades a todo momento, com a voz interna lembrando de tudo que temos a fazer."
Receba a segunda-feira de braços abertos
O especialista lembra que, apesar de todas as reclamações quanto às segundas-feiras, o início de uma nova semana deve ser sempre lembrado como uma nova oportunidade de realizar seus projetos. "É claro que ninguém fica feliz quando acaba o descanso, mas quando se faz o que se gosta, uma segunda-feira deixa de ser um martírio e vira uma oportunidade."

publicado em: http://vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua-carreira/materia/carreira-planejamento-cinco-dicas-segunda-feira-pe-direito-702796.shtml?