Sejam Bem Vindos

Olá,
Fiquem a vontade para navegar no meu blog, temos aqui a finalidade é discutir questões relacionadas a Educação, Tecnologia, Religião, Política, Sociedade, Historia, Prática Pedagógica, Pedagogia Empresarial etc. Bem como manter o público atualizado sobre os eventos (cursos,seminários,congressos, amostras culturais etc) que acontecem na área de Educação e/ou tecnologia.

sábado, 9 de agosto de 2008

E por falar na China!

Sociedade

A história da humanidade é recheada de um elemento comum: A hipocrisia.

Os alemães são famosos pelas atrocidades cometidas nos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Contudo, poucos sabem que os campos de segregação foram uma idéia americana, aplicada a japoneses em seu território, e copiada por Hitler.

Os japoneses são famosos por sua honra em combate, pelo respeito aos idosos e pelo profundo sofrimento causado pelas explosões atômicas de Hiroshima e Nagasaki. Mas, pouca gente teve notícias das enormes carnificinas promovidas por eles, no mesmo conflito. Tropas japonesas executavam atos que iam desde seqüestro e escravização de civis e de vilas inteiras até a morte por inanição e tortura em seus próprios campos de execução. Além de obrigarem mulheres chinesas e de outros países asiáticos a prostituírem-se para “entreter” seus soldados e oficiais.

A então União Soviética torpedeou e afundou sem prestar socorro um navio de refugiados alemães que fugiam do caos final nazista. O desastre, que caiu no esquecimento da história dos perdedores, fez mais vítimas do que o do famoso Titanic (mais do que o dobro).

Sem mencionar que entre os milhões de Judeus mortos nos campos de concentração nazista; dezenas de milhares foram barrados, em sua fuga desesperada para países “aliados” e devolvidos (via deportação) para os nazistas.

Tudo isso, porque o que é contado; o que fica “valendo” para as gerações futuras é a história contada pela ótica dos vencedores. Você, por exemplo, jamais ouvirá um inglês assumir que seu Império exterminou milhares de pessoas na Índia, Paquistão e em suas colônias na Ásia e África. Apenas, para traficar escravos e tomar posse das riquezas naturais desses locais.

Nações que hoje posam de defensoras da “democracia” e da “liberdade” têm, como todo mundo, seu “pé na lama” da história. Pasmem; até nós os eternos “amigos de todo mundo”; temos nossa cota de atrocidades e crimes contra a humanidade em guerras (aprenda sobre a Guerra do Paraguai e o extermínio de 98% da população masculina daquele país). Nosso maior “herói” militar, adorava cavalgar a toda sobre uma multidão de civis e decapitá-los com seu sabre afiadíssimo.

Mais recentemente, a comunidade internacional se calou, olhou para o lado e fechou os ouvidos aos milhares de injustiçados e massacrados pelo regime chinês. Tudo em nome do “desenvolvimento” econômico da China. Na realidade, as grandes potências criaram esse universo paralelo onde à China é um país próspero e feliz; apenas para compensar a decadência econômica do maior mercado consumidor do mundo até então: Os EUA.

Com as previsões apocalípticas de uma “depressão” americana, a China transformou-se no novo “El Dorado” capitalista. Foi ignorado o massacre da população pobre; que foi obrigada a retirar-se de suas casas (onde vivia a gerações). O despejo de comunidades inteiras ao longo do rio Yang-Tsé-Kiang e do Huang-Ho; que foram obrigadas a habitarem cidades a quilômetros de seus lares natais e de suas raízes culturais em nome de um progresso voraz e que não se preocupa com o ser humano. E a vergonhosa situação do Tibete. Que começou com a caçada humana realizada a uma criança (o Dalai Lama); fato que deu origem a uma das maiores e mais espetaculares histórias de fuga de todos os tempos.

O desastre humanitário; é apenas superado pelo ambiental. O ar nas grandes cidades chinesas; chega a ser venenoso. Sem falar na contaminação das águas e do solo por metais pesados e resíduos industriais. Em nome desse “progresso” a China foi recebida de braços abertos pela comunidade internacional. Mas, como diz o velho ditado: “Pau que nasce torto; morre torto”. E com a China não foi diferente.

Agora, o mundo descobriu que a “ilha de harmonia”, nada mais era do que uma nação que extermina impiedosamente aqueles que não “rezam” pela sua cartilha. Descobriu (só agora?) que o ar no país é tão tóxico que determinadas provas dos Jogos Olímpicos poderão ser adiadas (fato inédito na história da competição), para não por em risco a vida e a saúde dos atletas.

Os recentes conflitos, com os revoltosos do Tibete, fizeram apenas aflorar o que a comunidade internacional e o governo chinês teimam em ignorar: A censura, a morte banal, a perseguição sistemática de inocentes e o extermínio de uma cultura milenar.

Como ocorreu ao longo de toda a história humana, o papel do bem, fica sempre com aquele que se presta mais ao benefício das elites econômicas ou políticas do momento. Hoje, a China ocupa um lugar de destaque nesse palco voraz e insaciável que devora os atores e espectadores igualmente.

Fonte - http://www.visaopanoramica.com/2008/03/18/china-tibet-e-a-hipocrisia-internacional/

Um comentário:

disse...

Muito interessante. Voce é realmente surpreendente. Gostei do texto, deste e da imagem de lobo em pele de cordeiro.
Abração

João Batista