Sejam Bem Vindos

Olá,
Fiquem a vontade para navegar no meu blog, temos aqui a finalidade é discutir questões relacionadas a Educação, Tecnologia, Religião, Política, Sociedade, Historia, Prática Pedagógica, Pedagogia Empresarial etc. Bem como manter o público atualizado sobre os eventos (cursos,seminários,congressos, amostras culturais etc) que acontecem na área de Educação e/ou tecnologia.

segunda-feira, 15 de março de 2010

FISCO APERTA O CONTROLE DOS CONTRIBUINTES


Economia






Todos devem começar a acertar a sua situação com o leão, pois no próximo ano o fisco começa a cruzar mais informações e no máximo em dois anos eles vão cruzar tudo.As informações que envolvam o CPF ou CNPJ serão cruzadas on-line com: 

CARTÓRIOS: Checar os bens imóveis - terrenos, casas, aptos, sítios, construções;
DETRANS: Registro de propriedade de veículos, motos, barcos, jet-skis e etc.;
BANCOS: Cartões de crédito, débito, aplicações, movimentações, financiamentos;
EMPRESAS EM GERAL: Além das operações já rastreadas (Folha de pagamentos, FGTS, INSS, IRR-F e etc.), passam a ser cruzadas as operações de compra e venda de mercadorias e serviços em geral, incluídos os básicos (luz, água, telefone, saúde), bem como os financiamentos em geral. Tudo através da Nota Fiscal Paulista, Nota Fiscal Eletrônica e Nota Fiscal Digital.
TUDO ISSO NOS ÂMBITOS MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL, amarrando pessoa física e pessoa jurídica através destes cruzamentos inclusive os últimos 5 anos.
Este sistema é um dos mais modernos e eficientes já construídos no mundo e logo estará operando por inteiro.
Só para se ter uma idéia, as operações relacionadas com cartão de crédito e débito foram cruzadas em um pequeno grupo de empresas varejistas no fim do ano passado, e a grande maioria deles sofreram autuações, pois as informações fornecidas pelas operadoras de cartões ao fisco (que são obrigados a entregar a movimentação), não coincidiram com as declaradas pelos lojistas.
Este cruzamento das informações deve, em breve, se estender o número muito maior de contribuintes, pois o resultado foi 'muito lucrativo' para o governo.
Sua empresa é optante pelo SIMPLES? Então veja esta curiosidade inquietante: 

TRIBUTAÇÃO PELO LUCRO REAL: Maioria das empresas de grande porte. Representam apenas 6% das empresas do Brasil e são responsáveis por 85% de toda arrecadação nacional; 

TRIBUTAÇÃO PELO LUCRO PRESUMIDO: Maioria das empresas de pequeno e médio porte. Representa 24% das empresas do Brasil e são responsáveis por 9% de toda arrecadação nacional; 

TRIBUTAÇÃO PELO SIMPLES NACIONAL: 70% das empresas do Brasil e respondem por apenas 6% de toda arrecadação nacional, ou seja, é nas empresas do SIMPLES que o FISCO vai focar seus esforços, pois é nela onde se concentra a maior parte da informalidade. A recomendação é de que as empresas devem se esforçar cada vez mais no sentido de “ir acertando” os detalhes que faltam para minimizar problemas com o FISCO. 

FISCO APERTA O CONTROLE DOS CONTRIBUINTES
A Receita Federal passou a contar com o T-Rex, um supercomputador que leva o nome do devastador Tiranossauro Rex, e o software Harpia, ave de rapina mais poderosa do país, que teria até a capacidade de aprender com o 'comportamento' dos contribuintes para detectar irregularidades. O programa vai integrar as secretarias estaduais da Fazenda, instituições financeiras, administradoras de cartões de crédito e os cartórios. Com fundamento na Lei Complementar nº 105/2001 e em outros atos normativos, o órgão arrecadador-fiscalizador apressou-se em publicar a Instrução Normativa RFB nº 811/2008, criando a Declaração de Informações sobre Movimentação Financeira (DIMOF), pela qual as instituições financeiras têm de informar a movimentação de pessoas físicas, se a mesma superar a ínfima quantia de R$ 5.000,00 no semestre, e das pessoas jurídicas, se a  movimentação superar a bagatela de R$ 10.000,00 no semestre. A primeira DIMOF será apresentada até 15 de dezembro de 2008.
IMPORTANTE: O acompanhamento e controle da vida fiscal dos indivíduos e das empresas ficará tão aperfeiçoado que a Receita Federal passará a oferecer a declaração de imposto de renda já pronta, para validação do contribuinte, o que poderá ocorrer já daqui a dois anos.
Apenas para a primeira etapa da chamada Estratégia Nacional de Atuação da Fiscalização da Receita Federal para o ano de 2008 foi estabelecida a meta de fiscalização de 37 mil contribuintes, pessoas físicas e jurídicas, selecionados com base em análise da CPMF, segundo publicado em órgãos da mídia de grande circulação. O projeto prevê, também, a criação de um sistema nacional de informações patrimoniais dos contribuintes, que poderia ser gerenciado pela Receita Federal e integrado ao Banco Central, Detran, e outros órgãos.
Para completar, já foi aprovado um instrumento de penhora on-line das contas correntes. Por força do artigo 655-A, incorporado ao CPC pela Lei 11382/2006, poderá requerer ao juiz a decretação instantânea, por meio eletrônico, da indisponibilidade de dinheiro ou bens do contribuinte submetido a processo de execução fiscal.
Tendo em vista esse arsenal, que vem sendo continuamente reforçado para aumentar o poder dos órgãos fazendários, recomenda-se que o contribuinte promova revisão dos procedimentos e controles contábeis e fiscais praticados nos últimos cinco anos. A Receita está trabalhando mesmo.
Hoje a Receita Federal tem diversos meios - controles para acompanhar a movimentação financeira das pessoas. Além da DIMOF, temos a DIRPF, DIRPJ, DACON. DCTF, DITR, DIPI, DIRF, RAIS, DIMOB, etc. Ou seja, são varias fontes de informações.
Esse sistema HARPIA, já estava em teste há 2 dois anos, e agora está trabalhando pra valer. Com a entrada em vigor da nota fiscal eletrônica e do SPED, que vai começar pra valer em 2009, essa situação vai piorar, ou melhor, melhorar a arrecadação. Todo cuidado é pouco. A partir de agora todos devem ter controle de todos os gastos no ano e verificar se os rendimentos ou outras fontes são suficientes para comprovar os pagamentos, além das demais preocupações, como lançar corretamente as receitas, bens, etc.

Fonte: http://www.crecipr.gov.br/

domingo, 7 de março de 2010

Atuação do Pedagogo Empresarial


Pedagogia Empresarial






A maior dificuldade é a de ensinar aos pedagogos escolásticos que...

...existe vida além do quadro negro.

As empresas querem, precisam, desejam ardentemente, desesperadamente, funcionários estimulados, motivados, instruídos e educados, e para isso contratam especialistas em legislação trabalhista e psicólogos para os seus departamentos de RH … É evidente que existe um abismo a ser transposto. Deixe para aqueles profissionais as tarefas burocráticas, fiscais, tributárias e trabalhistas (que não são poucas), e assuma as funções pedagógicas de fato. — primeira dica.
Faltam, no meio acadêmico e científico, modelos de propostas de trabalho. As faculdades tornaram-se fornecedores de mão-de-obra cada vez mais barata, e as universidades deixaram de produzir conhecimento e tecnologia (com raríssimas exceções), e passaram a tentar explicar o que aconteceu nos últimos cinco anos, jogando perfume sobre um cadáver cada vez mais pútrido.
– Mais vale um boleto bancário pago em dia, do que um ser humano educado.

Todo conhecimento já está disponível. Ouse.

Valorize os componentes inteligentes que te constituem e proponha. Não adianta esperar da faculdade, do governo ou de qualquer instituição. O mercado tem sede e fome! Se for preciso não fale em pedagogia. Não precisa falar! Seja pedagoga. Não fale em pedagogia… Tá bom! Cite en passant. Se você perceber que existe um certo preconceito, não use a palavra, mostre tua disposição, teu desempenho, tua vontade de colaborar, de contribuir.
Quero citar a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO , para mostrar que não existe nada de novo. Falta iniciativa pessoal. Esta é a parte que te cabe deste latifúndio.
Podemos encontrar na CBO, a “Descrição Sumária” sobre o pedagogo, que entre outras coisas diz: “… Viabilizam o trabalho coletivo, criando e organizando mecanismos de participação em programas e projetos educacionais, facilitando o processo comunicativo entre a” organização e os “stakeholders” (em português, parte interessada ou interveniente).
Mas, a maioria dos pedagogos escolásticos querem dar aulas em sala de aula, nas empresas. Dá pra perceber o disparate! Parem com essa mania de querer ensinar. Eduquem.
Mais dicas explorando a CBO:

São áreas de atividade do pedagogo:

a) Implementar a execução do projeto pedagógico/instrucional
b) Avaliar o desenvolvimento do projeto pedagógico instrucional
c) Viabilizar o trabalho coletivo
d) Coordenar a (re)construção do projeto pedagógico/instrucional
e) Elaborar projeto instrucional
f) Desenvolver projeto pedagógico/instrucional
g) Promover a formação contínua dos profissionais
y) Comunicar-se

As competências pessoais devem ser:

  1. Compreender o contexto
  2. Respeitar as diversidades
  3. Criar espaços para o exercício da diversidade
  4. Respeitar a autoria
  5. Respeitar a autonomia
  6. Criar clima favorável de trabalho
  7. Demonstrar capacidade de observação
  8. Trabalhar em equipe
  9. Administrar conflitos
  10. Intermediar conflitos entre a organização e a família
  11. Interagir com os pais (& filhos)
  12. Coordenar reuniões
  13. Dimensionar os problemas
  14. Estimular a solidariedade
  15. Respeitar a alteridade
  16. Estimular a criatividade
  17. Estimular o senso de justiça
  18. Estimular o senso crítico
  19. Estimular o respeito mútuo
  20. Estimular valores estéticos
  21. Desenvolver a auto-estima
  22. Estimular a cooperação
  23. Administrar tempo
  24. Auto-avaliar-se
  25. criatividade
  26. Demonstrar pró-atividade
  27. Demonstrar versatilidade
  28. Demonstrar flexibilidade
Ainda precisa de mais?

fonte: http://www.mh.etc.br/blog/