Sejam Bem Vindos

Olá,
Fiquem a vontade para navegar no meu blog, temos aqui a finalidade é discutir questões relacionadas a Educação, Tecnologia, Religião, Política, Sociedade, Historia, Prática Pedagógica, Pedagogia Empresarial etc. Bem como manter o público atualizado sobre os eventos (cursos,seminários,congressos, amostras culturais etc) que acontecem na área de Educação e/ou tecnologia.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Filha de um estupro. Hoje uma mulher de fibra

O corajoso e comovente depoimento da Deputada Fátima Pelaes na CSSF, logo antes da votação do Estatuto do Nascituro*, e que pode aqui ser visto no video abaixo, mostra bem como é compatível – mais do que isso, é coerente – ser uma grande defensora dos direitos das mulheres e, ao mesmo tempo, defender a vida desde a concepção.



Nasci depois de um estupro. Não posso ser a favor do aborto!” – Deputada Fátima Pelaes durante reunião que aprovou o Estatuto do Nascituro* na Comissão de Seguridade e Família, na última quarta-feira, 19.

Para isto Fátima nasceu. A menina que veio à luz num presídio misto e lá viveu por três anos após um ato de violência sexual sofrido por sua mãe. Fátima Pelaes, deputada amapaense, militante pelas causas das mulheres, crianças e adolescentes! Ela relatou a CPI sobre o extermínio de crianças e adolescentes (1992), presidiu a CPI que investigou a mortalidade materna no Brasil (2000/2001) e criou a lei, de 2002, que estendeu a licença-maternidade para mães adotivas.
Foram quatro horas de discussão! Quatro horas evitando que o projeto de lei fosse rejeitado… Quatro intensas horas de resistência psicológica ante as provocações das abortistas enfurecidas com um projeto que se for sancionado pelo presidente da república terá o poder de paralisar as ações contrárias ao bem-estar da mãe e do bebê.

Os deputados pró-vida defenderam a urgência da aprovação do projeto. Os deputados abortistas aterrorizaram a todos denunciando – sempre falsamente – que o Estatuto do Nascituro tinha por objetivo criminalizar as mulheres e revogar o Artigo 128 do Código Penal, que autoriza o aborto praticado por médico em casos de estupro e de risco de vida para a mãe.

Fátima tomou do microfone e contou ser fruto de um estupro realizado dentro da prisão. Sua mãe quis abortá-la, a princípio, mas decidiu por sua vida e para isto ela nasceu: para que sua história pudesse salvar a história de muitos outros, muitas outras.

Quando ela acabou de falar, todos estavam chorando, emocionados. O deputado Arnaldo Faria de Sá tomou o microfone e convocou uma resposta à altura do depoimento de Fátima: “Senhores, depois deste testemunho como não ser a favor da vida dos nascituros?”

Foi aprovado o Estatuto do Nascituro na Comissão de Seguridade Social e Família. Agora o projeto dos deputados Luiz Bassuma e Miguel Martini segue para a Comissão de Finanças e Tributação e depois para a Comissão de Constituição. Sendo aprovado por lá o projeto é encaminhado para votação no plenário e por último é entregue para sanção do presidente da república.

O projeto define o direito à vida desde à concepção e protege o nascituro contra qualquer forma de discriminação que venha privá-lo de algum direito mesmo em razão de deficiência física ou mental, ou ainda por causa de delitos cometidos por seus genitores. 

Assim votou a relatora do projeto, deputada Solange Almeida:
Portanto, o projeto de lei em exame, com os aperfeiçoamentos constantes do presente substitutivo, pretende tornar realidade esses relevantes objetivos, quais sejam, os de proteção e promoção da pessoa humana em sua fase de vida anterior ao nascimento, quando é designada pelo termo “nascituro”, com todas as benéficas repercussões para o futuro de sua vida. Isso interessa não só ao indivíduo e sua família, mas também à nação. Parece evidente, pois, sua plena compatibilidade com os objetivos fundamentais da República, nos termos estabelecidos no art. 3º, itens I a IV, da Constituição Federal.


*Um Nascituro é um ser humano já concebido, em estado de feto, que ainda não veio à luz.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Marketing Pessoal, sucesso global


Recursos Humanos


É importante, antes de aprofundarmos sobre o tema central, entendermos o momento pelo qual passamos, suas transformações e seu legado, para que possamos compreender a importância e aplicabilidade do Marketing Pessoal.

É fato que grande parte de todo este processo de mudanças e velozes transformações pelo qual todos estamos vivenciando, é decorrente de dois fatores principais: a globalização e o desenvolvimento tecnológico. O mundo como o conhecemos hoje faz parte deste processo ou advém dele. Octávio Ianni afirma que a globalização está presente na realidade e no pensamento, desafiando grande número de pessoas em todo o mundo. O desenvolvimento da tecnologia acelerou o processo de globalização e vice-versa, promovendo um ciclo contínuo e irreversível, capaz de alterar culturas, sociedades e o próprio homem.

A partir destes dois fatores, outros vieram compor o cenário atual: busca permanente pela qualidade de produtos, serviços e de vida; maior presença da mulher no mercado de trabalho e em outros segmentos da sociedade, até então predominantemente masculina; segmentação do consumo, para atender novos mercados cada vez mais competitivos e exigentes; trabalho em equipe, como propulsor da revolução do comportamento interno nas organizações, onde faz-se mais com menos gente; conceito e prática da melhoria contínua - aplicada a processos e pessoas; terceirizações, quarteirizações, downsizing, preocupação com o meio ambiente e a comunidade etc.

Diante deste cenário e muitas outras transformações ocorridas no meio organizacional e social, surgiu o Marketing Pessoal, como forma de revalorização da capacidade e competências do homem.
O cineasta americano Woody Allen, afirma que oitenta por cento do êxito consiste em aparecer. Mas é óbvio que para passarmos do ridículo ao êxito na arte de aparecer, faz-se necessário uma boa dose de planejamento e estratégia, que são os pilares do Marketing Pessoal, ou seja, como destacar-se em meio a tantos e atingir o sucesso global. Para isto destaco algumas delas a seguir, lembrando que em todo processo de desenvolvimento pessoal é importante preservarmos nossas características, evitando a busca de ser aquilo que não somos.

O primeiro passo é construir uma auto-imagem positiva e otimista. As pessoas esquivam-se daqueles que estão sempre mau humorados ou torcendo para tudo dar errado.
Como nos ensina as sucedidas estratégias do marketing tradicional, todo produto necessita de uma boa embalagem. Portanto, cuide da sua comunicação e apresentação pessoal, pois são o seu cartão de visitas.

Demonstre iniciativa, persistência e motivação em tudo que faz. Certamente isto trará a atenção das pessoas, identificando-o como alguém interessante e interessado.
Fique atendo ao feedback. Saber o que as pessoas pensam a seu respeito pode ajudar a mudar pequenos hábitos e costumes, se necessário.

Muitas vezes pela pressão do dia-a-dia, esquecemo-nos das pessoas consideradas "sem importância", como o porteiro, a faxineira, o guarda, o manobrista, o atendente etc. Porém, imagine o mundo sem o trabalho e a dedicação destas pessoas? Muitas vezes, um simples "bom dia" é o suficiente para tocarmos o coração das pessoas e cativá-las para sempre. Lembre-se: todos são importantes e assim devemos nos sentir!

Outra estratégia interessante para o aprimoramento diário é utilizar a técnica do benchmarking. Normalmente utilizado pelas empresas, podemos adaptá-la, fazendo o benchmarking de pessoas que admiramos, ou seja, aprender com elas como desenvolver as características que as tornam tão especiais.


Seja justo e pontual com seus compromissos. Atenda as pessoas rapidamente, se não for possível pessoalmente, escreva, telefone, mas responda as chamadas depressa!

Saiba atender um pedido, auxilie, preste ajuda. Muitas vezes uma ajuda desinteressada pode transformar-se em uma grande amizade ou a conquista da admiração pelas demais pessoas.
Tenha prazer no que faz e faça com prazer, pois se você não fizer por você, quem o fará?

Tente sinceramente não dizer nada negativo ou de julgamento sobre outra pessoa durante todo um dia. Se você conseguir, tente outro dia. A disciplina verbal pode se tornar um hábito e vale a pena.

Venda corretamente sua imagem: ser competente e parecer competente.Com todas estas estratégias em mãos, utilize o bom senso para distinguir aquilo que é possível fazer, aquilo que não irá comprometer sua essência. Sem dúvida, o Marketing Pessoal é uma técnica eficaz para o sucesso global, mas se utilizada de forma correta e bem intencionada, valorizando as pessoas no cominho para o sucesso pessoal e profissional.

Para finalizar, vale refletir sobre o que o jornalista Whit Hoss escreveu: 

"sucesso é acordar de manhã - não importa quem você seja, onde você esteja, se é velho ou se é jovem  e sair da cama porque existem coisas importantes que você adora fazer, nas quais você acredita, e em que você é bom. Algo que é maior que você, que você quase não agüenta esperar para fazer hoje."

Por: Rogério Martins -  em http://www.curricular.com.br


domingo, 16 de maio de 2010

Treinamento docente gera o desenvolvimento discente.


Pedagogia

Durante um curso de especialização em ensino a professora contou um fato que, apesar de ter ficado na dúvida se era uma brincadeira ou era algo real, achei muito interessante.
A história era a seguinte:
Havia um aluno que, após todas as explanações da professora, comentou que não havia compreendido o que ela acabara de explicar. Logo após este comentário, a professora repetiu tudo, da mesma forma que anteriormente, com os mesmos exemplos, gestos e metodologia. Em seguida, o aluno olha para a professora e diz: “Professora, eu falei que eu não compreendi o assunto e não que eu era surdo”.
Pode soar uma ofensa para alguns, mas na verdade, o que este comentário queria dizer é que cada aluno tem uma necessidade diferente. Possuem valores pessoais diferentes, experiências de vida, educação familiar e realidades diferentes. A necessidade daquele aluno não era que fosse repetido tudo o que já havia sido dito, mas sim que fosse explicado de uma outra forma a qual ele pudesse compreender.
Ensinar não se resume a simplesmente passar o conteúdo aos alunos e sim saber compreender as necessidades, dificuldades e expectativas de cada aluno. Deve-se saber ouvir e ler o comportamento para assim poder contribuir mais positivamente para o desenvolvimento destes discentes.
Como em uma empresa, existem profissionais com  habilidades e competências específicas e que se destacam uns dos outros. O mesmo ocorre com os professores. Muitos têm habilidades para ensinar, contudo, precisam de mais competência para envolver os alunos. Obviamente, há aqueles que possuem uma competência incomparável sobre o tema ou disciplina, porém, faltam habilidades didáticas suficientes para transmitir o conhecimento e realizar um perfeito processo de ensino aprendizagem entre aluno e professor.
Qualquer uma destas situações é totalmente reversível.  É utopia o docente acreditar que não precisa estudar e atualizar suas metodologias, além de realizar uma auto-avaliação para buscar pontos de necessidades de melhorias.
Todos devem passar por reciclagens constantes através de cursos e treinamentos de capacitação pedagógica, com foco em metodologias, ética, desenvolvimento de materiais, dinâmicas, identificação do perfil dos alunos, entre outros.
Com a evolução tecnológica existente, a população passou a ter acesso às informações de forma muito fácil e rápida, porém, muitas vezes, estas informações são retiradas exclusivamente de sites na internet, sem qualquer validação, comprometendo assim a qualidade da informação e conhecimento adquirido.
As pessoas começam trabalhar mais Jovens e também durante mais horas por dia. Há casos de não existir Ensino Superior próximo da cidade em que residem. Muitos não têm condições financeiras para se manterem ou serem mantidos por seus familiares fora de suas casas. Lutar contra os recursos tecnológicos, como ensino à distância, por exemplo, é lutar contra sua própria atualização e desenvolvimento profissional. Comprovou-se no último resultado do Enade que as melhores notas obtidas foram provenientes de alunos do Ensino a Distância. É uma tendência real.
O Ensino a Distância veio para ficar e ampliar a oportunidade de aprendizado a toda população, sem limites de raça, religião, idade e distância. Da mesma forma, o professor precisa conhecer os tipos de informações disponíveis para assim orientar os alunos bem como estar atualizado em relação aos meios tecnológicos existentes contribuindo, orientando e acompanhando todo o aprendizado.
Por mais que os professores apontem os alunos com rendimento inferior aos demais de sua classe, ou então com um comportamento indesejado, estes não devem ser rejeitados ou simplesmente penalizados, mas sim ouvidos e compreendidos. Tudo tem uma razão para acontecer da forma com a qual acontece.
Como os professores não são preparados para este tipo de situação quando se deparam com estes casos, muitos tomam atitudes errôneas, perdem o controle, desistem de lecionar enquanto outros até mesmo adoecem. Poucos aceitam o desafio e conseguem potencializar o desenvolvimento do aluno, transformando aquele “pequeno pedaço de carvão em uma pedra preciosa”.
Assim, cabe à União, Estados e Municípios apresentar e desenvolver cursos de capacitação aos docentes, para nível médio, fundamental, especial e superior, porém, não apenas um curso para falar que foi oferecido, mas sim com qualidade e conteúdos adequados para o desenvolvimento e reciclagem de professores. Mas a responsabilidade é também dos docentes, que deverão ter interesse e se envolver para este aprendizado e desenvolvimento profissional.
Ser professor é mais do que ter uma atividade profissional. É preciso amar o que se faz. É preciso ter desejo de aprendizado constante e saber compreender que antes de ensinar, precisamos aprender. Aprender a ouvir, a respeitar as diferenças e a desenvolver o processo de aprendizagem criando o interesse no aluno. Sua aula deve ser a mais importante na vida do aluno. Deve ser aquela pela qual realmente valha a pena ele andar quilômetros para assistir, muitas vezes estar sem alimentação, sem banho tomado ou sem disposição física devido a um dia cansativo de trabalho ou até saúde. Sua aula deve ser a maior realização educacional e evolutiva na vida pessoal e profissional para seu aluno.
Fonte: http://www.artigos.biz  Por: Wagner campos

terça-feira, 11 de maio de 2010

Erros comuns em e-mails: mau uso do campo "assunto"

Tecnologia




Um estudo realizado nos Estados Unidos pelo Sterling Consulting Group classifica os dez erros que as pessoas mais cometem na comunicação por e-mail. Embora tenha sido feito em outro país, o estudo serve como referência para nós, brasileiros, pois a aqui se vêem as mesmas mancadas com muita frequência. Assim, vale à pena dar uma olhada na lista:

1. Campo “assunto” preenchido com informação vaga ou inespecífica
2. Ausência de saudação no início da mensagem
3. Uso de palavras abreviadas
4. Cópias enviadas sem necessidade
5. Erros gramaticais, especialmente de grafia e pontuação
6. Mensagem escrita com letras maiúsculas
7. Ausência de despedida
8. Falta de cuidado estético (formatação inadequada, ausência de parágrafos)
9. Mensagem escrita em tom áspero ou seco
10. Mensagem vaga, que não gera ação por parte do destinatário

Não me surpreende que o uso inadequado do campo assunto esteja no topo da lista dos 10 erros mais comuns em e-mails, pelo que observo no dia a dia, muitas pessoas parecem ignorar a importância do que se digita nesse campo.

Vamos partir do seguinte princípio: aquilo que você escreve no campo assunto influencia o destinatário a abrir (ou não) seu e-mail. Assim, as palavras que você colocar ali devem dar uma idéia clara sobre o conteúdo da mensagem, sua importância e grau de prioridade – e é justamente nesses pontos que muita gente escorrega. Alguns exemplos colhidos de minha própria caixa postal:

“Publicação no GPN” – Esse foi o assunto de uma mensagem que recebi de um remetente desconhecido. Pensei que se tratasse de uma propaganda por pouco não mandei o e-mail para a lixeira, mas uma força sobrenatural me fez abri-lo. Ainda bem: tratava-se do pedido do editor de um portal que desejava publicar meus artigos. E eu lá sabia que GPN era nome de portal! Agora, imagine se esse editor tivesse escrito um assunto mais claro e preciso, sem siglas desconhecidas, algo como “Interesse em publicar seus artigos”: teria sido melhor, não?

“Novos lançamentos” – Assim é que uma corretora de imóveis costuma identificar as mensagens que manda de tempos em tempos. São e-mails sobre apartamentos de tamanhos diversos em vários bairros de São Paulo, que ela envia, naturalmente, com o objetivo de captar interessados em comprar imóveis. Imagino que use esse assunto genérico na esperança de que o destinatário abra o e-mail para saber qual é o lançamento.

Mas não é assim que as coisas funcionam: mensagens com assuntos vagos, sem uma informação com a qual o destinatário se identifique, correm o risco de passar despercebidas. Já se a corretora colocasse um assunto como “3 dormitórios na Saúde” ou “Lançamento escritórios Moema”, certamente chamaria mais a atenção dos potenciais interessados em imóveis com essas características, levando-os a abrir o e-mail.

“Reunião” – Foi o assunto escrito por um cliente que desejava marcar uma reunião comigo. Respondi o e-mail e fizemos a reunião. Dias depois, recebi outro e-mail dele, “Res: reunião”, ou seja, uma resposta da minha resposta, em que ele me enviava um arquivo. Respondi o e-mail para agradecer o arquivo. Mais alguns dias se passaram e recebi do cliente o e-mail “Res:res: reunião”, dessa vez para fazer uma pergunta. E assim continuou nossa correspondência: para não ter que digitar meu endereço de e-mail, ele abria minha mais recente mensagem em sua caixa postal e a respondia.

A certa altura, eu já estava com sete e-mails “Res: res: reunião”, que falavam de tudo que é assunto, menos de reunião! O histórico de conversação com esse cliente, como você pode imaginar, tornava um tanto difícil localizar o e-mail em que o documento foi mandado, ou o em que a pergunta foi feita, ou o em que a pergunta foi respondida… Um horror. Tudo bem aproveitar o e-mail que alguém nos mandou para não ter que digitar seu endereço, mas é fundamental mudar o que está escrito no campo assunto, para que ele informe o conteúdo da nova mensagem.

Para concluir: não subestime a importância do assunto. Ele deve informar com clareza e precisão o conteúdo da mensagem, para destacá-la das outras dezenas de mensagens que chegam à caixa postal do destinatário todos os dias. O campo assunto bem preenchido pode tornar sua comunicação por e-mail mais dinâmica e eficaz.

Fonte: www.institutojetro.com Publicado em 09.02.2010
Autor: Regina Giannett

domingo, 9 de maio de 2010

Desligue o piloto automático, por favor!



Recursos Humanos




Manter o celular ou a televisão ligados enquanto almoça, ouvir o desabafo de alguém e navegar na internet ao mesmo tempo, indicam que você ligou o piloto automático. Isto não é gerenciar o tempo, não é aproveitar o dia ao máximo. O resultado dessa atenção sem foco é que você não se concentra nem em uma coisa nem em outra; tem uma percepção fragmentada das coisas a sua volta e essa percepção distorcida pode prejudicar suas idéias e julgamentos sobre os fatos.
Se você não está aproveitando a vida do modo como gostaria, não consegue dividir suas 24 horas entre o trabalho, relacionamento e um tempo só para você e, acima de tudo, se não acredita que realizará seus sonhos nessa existência, você, realmente, está em dificuldades. Parar de sonhar o transforma em um robô. Robô não sabe amar e quem pagará o preço de você desistir de si mesmo são seus relacionamentos.

O piloto automático embrutece
Muitos encaram as dificuldades como entraves à felicidade e incorporam isto tão profundamente que perdem a noção de sua potência para vencer obstáculos. Elas ligam o piloto automático e só se darão conta dele quando se depararem com os resultados: sentimento de incompletude, vazio existencial, falta de sentido da vida, depressão e falta de motivação para levar projetos adiante.

Existe uma lógica para que as pessoas liguem o piloto automático e se desliguem cada vez mais do funcionamento corporal e mental. Ele impede a pessoa de perceber o absurdo da vida e o ajuda a suportar o “tédio nosso de cada dia”. No piloto automático não sentimos grandes sofrimentos, mas também quase nenhuma felicidade. Fazemos desaparecer a dor e, junto com ela, o amor.

Por causa deste embotamento, a pessoa desconhece quem realmente é e se torna insensível também às necessidades alheias. Desenvolve uma falsa idéia do que seja autonomia afetiva e demonstrar sentimentos se torna constrangedor. Fica incapaz de ver as coisas sob outro prisma e desenvolve intolerância a quem pensa de maneira diferente. Amor e convivência são confundidos com o controle aos outros.

Tornar-se presente
Há muitas formas de controle, uma das mais comuns é fazer qualquer coisa de olho nos resultados. Enquanto você interage, as atenções são colocadas para muito além da relação em si, isto é, nos resultados esperados daquela interação, por exemplo, as pessoas não descansam, recuperam energia. Não brincam com seus filhos, os preparam para o futuro. Para alguns casais não existe troca. Tudo deve ter um propósito, nada é simplesmente o que é.

No mundo do trabalho todos têm um preço e sempre há uma segunda intenção à espreita. Um sempre tenta tirar algo do outro e o preço para a harmonia na relação será pago pela liberdade, respeito e amor próprio de um deles ou dos dois. Isto é muito comum, talvez você já tenha se sentido usado por alguém para alcançar seus objetivos – profissionais, econômicos ou ministeriais.    

Normalmente, quando a pessoa se dá uma trégua e desliga o piloto automático, aterrissa em si mesma, percebe que está sendo usada e se livra de relacionamentos abusivos. A fórmula para desligar o piloto automático e superar a resignação é tornar-se presente, voltando a atenção ao que se está fazendo no momento em que se faz. Valorizando os relacionamentos, seus limites e potencialidades. 

Fonte: ttp://www.institutojetro.com/Artigos/administracao_geral/desligue_o_piloto_automatico_por_favor.html
Autor: Sueli Nascimento.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

A origem do dia das mães

Sociedade

A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de "O Hino de Batalha da República".

Mas foi outra americana, Ana Jarvis, no Estado da Virgínia Ocidental, que iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas, com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães. A idéia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.

Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu somente em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou o Dia das Mães ao calendário de datas comemorativas daquele estado. Rapidamente, outros estados norte-americanos aderiram à comemoração.

Finalmente, em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Em breve tempo, mais de 40 países adotaram a data.

"Não criei o dia das mães para ter lucro"

O sonho foi realizado, mas, ironicamente, o Dia das Mães se tornou uma data triste para Anna Jarvis. A popularidade do feriado fez com que a data se tornasse uma dia lucrativo para os comerciantes, principalmente para os que vendiam cravos brancos, flor que simboliza a maternidade. "Não criei o dia as mães para ter lucro", disse furiosa a um repórter, em 1923. Nesta mesmo ano, ela entrou com um processo para cancelar o Dia das Mães, sem sucesso.

Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Na maioria das ocasiões, utilizava o próprio dinheiro para levar a causa a diante. Dizia que as pessoas não agradecem freqüentemente o amor que recebem de suas mães. "O amor de uma mãe é diariamente novo", afirmou certa vez. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe.

No Brasil

O primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.

***
Texto compilado das seguintes fontes

- Pesquisa de Daniela Bertocchi Seawright para o site Terra, http://www.terra.com.br/diadasmaes/odia.htm
Fontes / Imagens:
• Norman F. Kendall, Mothers Day, A History of its Founding and its Founder, 1937. • Main Street Mom
• West Virginia Oficial Site
- O Guia dos Curiosos - Marcelo Duarte. Cia da Letras, S.P., 1995.
- Revista Vtrine - artigo - Abril, S.P., 1999

Fonte: http://www.pulpitocristao.com/2010/05/origem-do-dia-das-maes.html

quarta-feira, 5 de maio de 2010

A Evolução Do Homem Frente Às Novas Tecnologias


Sociedade e Tecnologia





O momento atual tem indicado uma série de mudanças na esfera social, econômica, política e cultural. Uma das causas dessas mudanças está relacionada ao rápido desenvolvimento tecnológico, provocado pela evolução das áreas da comunicação e da informática, e foi acelerado principalmente, após a Segunda Guerra Mundial.
Nesse sentido, percebe-se que a tecnologia é uma ferramenta que proporciona ao homem muitas melhorias no seu cotidiano, visto que ela é uma extensão do homem. A invenção e o crescente avanço tecnológico estão modificando a compreensão do mundo, causando dessa forma uma necessidade significativa de uma readaptação do modo de vida do homem.
 Portanto, se faz necessário e que a tecnologia - internet seja aplicada de forma coerente, visto que dentro desse contexto tecnológico há diversos aspectos positivos que a tecnologia traz para a sociedade e há também inúmeros aspectos negativos, no que diz respeito à má utilização desse recurso no cotidiano atual.
 A EVOLUCÃO DO HOMEM
 Fazendo uma retrospectiva da evolução do homem desde os tempos primitivos, analisa-se que a educação e a comunicação estão intimamente ligadas no processo histórico da humanidade. Desde os tempos primórdios que o homem interage com o meio ambiente para satisfazer as necessidades de sobrevivência e comunicar-se com o outro através de gestos, símbolos e desenhos para juntos formar comunidades, explorar e desmistificar o planeta.
 Durante muitos e muitos anos, o homem solucionou diversos problemas, para isso inovou e diversificou meios para adequar a vida humana às tecnologias. Essas novas tecnologias que colaboraram intrinsecamente para a evolução do homem, vêm adentrando de forma significativa na sociedade, esta por sua vez faz com que surjam novas formas de pensar, analisar e cogitar sobre esses novos avanços tecnológicos que mudaram e ainda continuam mudando a história da civilização humana.

TECNOLOGIA E A NATUREZA
 A presença da tecnologia no mundo atual é um fator preponderante na sociedade, estar tecnologicamente conectado a ela é um dos desafios mais relevantes para o homem. O objetivo da internet, tecnologia de ponta, é desafiar o homem a voltar-se à exploração de elementos computacionais bem como dos naturais, que antes despertavam eminentemente o interesse dos homens das cavernas no início da civilização humana.
 No que diz respeito ao meio, a primeira providência do homem segundo Cox (2003) foi garantir sua sobrevivência, ensaiando os primeiros passos na infância da humanidade, pois a busca por recursos naturais tornou-se relevante para a manutenção de sua vida.
Fazendo uma correlação com autor, percebe-se que o homem como sendo um ser pensante que foi e é capaz de procurar alternativas para a solução de problemas que prejudicariam o desenvolvimento e/ou crescimento na vida em sociedade. Nesse sentido, é válido ressaltar a significância da tecnologia para o melhoramento desse aspecto social.
 Em contrapartida com esses avanços tecnológicos o homem influenciou e promoveu transformações no meio no qual vive, isto é, na natureza. A partir daí surgem inúmeras transformações em decorrência dessas dificuldades bem como escassez, miséria, fome entres outros fatores. Surge assim a necessidade de recorrer aos esforços intelectuais necessários e tecnológicos.

A EVOLUÇÃO E A IMPORTÂNCIA  DA TECNOLOGIA
Em tecnologia é possível pensar em tudo, em todas as ciências existentes como Ciências Humanas, Ciências Exatas, Medicina entre outras, nesse sentido não é possível mais pensar no mundo sem pensar em tecnologia. A informática é um dos elementos essenciais para a evolução humana, visto que a mesma de grande valia para o seu desenvolvimento.
 Segundo Costa e Oliveira (2004), o desenvolvimento da informática se iniciou a priori com o emprego de computadores de grande porte, que eram instalado em salas especiais e operado por profissionais altamente qualificados. A partir de então os computadores são utilizados de forma mais intensa, nesse período intensificou-se os avanços e a internet entra no campo acadêmico contribuindo para o desenvolvimento do conhecimento científico.
 A evolução acelerada na área da informática possibilitou um avanço das atividades relacionadas a esta área na quase totalidade das atividades humanas, iniciando pelas engenharias e atingindo os mais diversos setores.
 Enfim, é notório que a tecnologia e o homem se abraçam, trazem avanços, vantagens e perigos, o homem e a tecnologia nos seus diversos aspectos caminham juntos. Por outro lado, é fato que não se pode esquecer dos fatores negativos que a mesma traz para a sociedade bem como seqüestros, exposição das particularidades das pessoas através de (blogs, orkut, MSN), casos relacionados à pedofilia entre outros escândalos que acontecem constantemente através da tecnologia – internet.
 A tecnologia é sem dúvida muito relevante para o desenvolvimento do homem, ela determinou intrinsecamente em grande parte a capacidade produtiva da sociedade e os padrões de vida, bem como formas sociais e sua organização econômica. O surgimento da informática trouxe inúmeros fatores relevantes para o desenvolvimento do homem, há vários fatores que colaboraram para isso, um deles é a tecnologia internet que deixou a vida humana mais fácil e ágil no que diz respeito à comunicação e também no que se refere a outros aspectos significantes como o social, o econômico e o cultural.

Por : Nayara Sá Cavalcante (Em http://www.artigonal.com)  

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Nem Tudo é Fácil

Poema








É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada.
É difícil ser fiel, assim como é fácil se aventurar.
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz,assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém,assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas…
É difícil pedir perdão?
Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o…
É difícil perdoar?
Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga…
É difícil se abrir?
Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça…
É difícil ouvir certas coisas?
Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se?
Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida…
Mas, com certeza, nada é impossível…
Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos em REALIDADE!!

Cecilia Meireles.