Sejam Bem Vindos

Olá,
Fiquem a vontade para navegar no meu blog, temos aqui a finalidade é discutir questões relacionadas a Educação, Tecnologia, Religião, Política, Sociedade, Historia, Prática Pedagógica, Pedagogia Empresarial etc. Bem como manter o público atualizado sobre os eventos (cursos,seminários,congressos, amostras culturais etc) que acontecem na área de Educação e/ou tecnologia.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Dia do estudante


Educação


Tão importante quanto o Dia do Professor, o Dia do Estudante merece ser lembrado com homenagem e reflexão. Sem estudante, a escola perde o sentido de ser. E a profissão do professor é dignificante porque remete ao ensino-aprendizagem com o aluno. É importantíssimo incentivar a estudar e aprofundar o significado do estudo. Isso cria um clima de aprendizagem e valoriza o estudante.
A colonização do Brasil aconteceu de um modo diferente de como foram colonizados os demais países da América Latina. Para a metrópole do império espanhol, as colônias deviam prosperar sob todos os aspectos, o que significava autorizar a criação e a manutenção de instituições de educação. Por isso, pouco tempo depois da chegada de Colombo à ilha de Santo Domingo, foi criada sua primeira universidade.
O império português teve uma visão diferente da colonização do Brasil. Visava especialmente manter a conquista do próprio território, explorar seus recursos naturais e, mais tarde, cobrar impostos. Por isso, criou fortes de defesa territorial em toda a costa litoral brasileira. E batizou sua colônia de Brasil, por causa da madeira daqui extraída e transportada para Portugal.
Quanto à Educação, essa foi uma preocupação tardia. Nas origens, tivemos o empenho decisivo dos jesuítas e das demais Ordens e Congregações Religiosas para com a Educação.
Mas esse não era o empenho do Estado português. Por isso, somente no século XX as Universidades brasileiras foram criadas.
Não fosse a ameaça da invasão francesa a Portugal e, consequentemente, da fuga da família real ao Brasil, teríamos uma protelação ainda maior na criação de escolas e faculdades públicas. No dia 11 de agosto de 1827, D. Pedro I instituiu no Brasil os dois primeiros cursos superiores de Ciências Jurídicas, um em São Paulo e outro em Olinda. Cem anos depois, em 1927, Celso Gand Ley propôs que essa data fosse escolhida para homenagear todos os estudantes. Por isso, 11 de agosto é Dia do Estudante.
Quando ocorre o preenchimento de cadastros, sempre há uma inevitável pergunta: qual é a sua profissão? Quem estuda, deveria dizer com orgulho: sou estudante.
Há quem considere que trabalhar é apenas quando se tem um vínculo formal de emprego. Engana-se. Também é trabalho o serviço doméstico, a educação dos filhos, o amparo aos pais idosos ou o cuidado com um familiar doente, ou com um deficiente. Quem estuda também está trabalhando. Gasta extenuantes horas do dia no empenho para aprender. Enfrenta dificuldades, empreende esforços, gasta energia, ganha aprovações e reprovações.
Há estudante que deliberadamente não estuda como devia nem se esforça para aprender.
Entretanto, isso ocorre em todos os demais trabalhos formais. Em todas as profissões, sempre há quem não faz direito as coisas. Isso não apenas prejudica a si, mas todos são atingidos pelos erros e pela falta do empenho pessoal no trabalho.
Quem estuda deve assumir-se como sujeito da própria aprendizagem. O professor é muito importante, mas não faz milagre com quem não quer aprender. Estudar é colocar-se em movimento consciente, abrir-se para as pequenas e as grandes descobertas, decodificar e decifrar as óticas cifradas do mundo.
Estudar é apropriar-se criativamente de diversas linguagens, aprender como responder aos desafios, aprender a conviver e a colocar o seu conhecimento a serviço da humanidade.
Estudar é aprender a crescer, a ser mais e melhor, a ver um pouco a frente, a sonhar de um modo diverso a própria realidade e o seu próprio futuro. Estudar é uma disposição interior de busca. É colocar-se a caminho; é ser seu próprio caminho.
Há milhares de estudantes com dupla jornada de trabalho. Há quem, além de estudar, precisa de um emprego para se manter; há quem estuda e ainda tem filhos e família para sustentar; quem é estudante gestante; quem estuda vindo de outra cidade, Estado ou país; quem tem deficiências físicas e ainda assim enfrenta os estudos, essas e tantas outras situações especiais merecem empenho e homenagem especial.
Há milhares de estudantes que não concluem seus estudos. Param no meio do caminho. Mais tarde, fica difícil retomá-los. A falta de estudo tem consequências para o resto da vida.
Prejudica no crescimento profissional, atinge a qualidade de vida de si e de sua futura família, limita suas expectativas e suas esperanças.
A falta de estudo também provoca consequências sociais. A maior parte dos jovens que está nas prisões apresenta baixa escolaridade e abandonou precocemente a escola. Estados e países onde há pouca capacitação da mão de obra, também têm menor crescimento econômico.
Por tudo isso, feliz a família que tem filhos ou pais que estão estudando. E feliz a sociedade que pode celebrar o Dia do Estudante.
Nesse dia tão especial, nosso aplauso vai também para todas as entidades representativas dos estudantes: a UNE -União Nacional dos Estudantes; a UEE – União Estadual dos Estudantes de Goiás; os DCEs – Diretórios Centrais de Estudantes; os CAs – Centros Acadêmicos; e a todos os grêmios estudantis que se organizam nas escolas.

Por: Wolmir Therezio Amado   (Reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás)
artigo publicado no jornal  DIÁRIO DA MANHÃ – GO

Um comentário:

Vidaemsociedade disse...

Muito bom o seu blog. Acho que temos interesses comuns e por isso talvez queira dar uma olhada no meu blog Vida em Sociedade. Mas sem obrigação e nem necessidade de troca de links, ok. Só pelo prazer de navegar, não é? Tudo de bom.
Pelo que você escreveu talvez goste em especial desta postagem.

Abraços,

Vida em Sociedade http://vidaemsociedade-sa.blogspot.com/