Sejam Bem Vindos

Olá,
Fiquem a vontade para navegar no meu blog, temos aqui a finalidade é discutir questões relacionadas a Educação, Tecnologia, Religião, Política, Sociedade, Historia, Prática Pedagógica, Pedagogia Empresarial etc. Bem como manter o público atualizado sobre os eventos (cursos,seminários,congressos, amostras culturais etc) que acontecem na área de Educação e/ou tecnologia.

terça-feira, 29 de abril de 2014

Falar muito e ouvir pouco



-->
Falar muito e ouvir pouco
“Sabeis isto, meus amados irmãos; todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar”. (Tiago 1:19.)
Um dos problemas principais no relacionamento entre as pessoas é a falta de comunicação. Comunicar-se significa expressar pensamentos e sentimentos de modo que o receptor compreenda o que você diz. E saber ouvir é uma arte que poucos conseguem dominar. No nosso tempo prevalece o blá, blá, blá, onde todos falam e ninguém se ouve verdadeiramente. Estamos vivendo um época onde se fala por falar.
Todos nós gostamos de expor as nossas idéias e de estar por cima no decorrer de uma conversa, discussão, debate. È normal do ser humano querer expor as experiências, a visão do mundo, ou a nossa própria dissertação. A dificuldade está em saber ouvir, sem interromper, sem atropelar uma idéia que se está a formar na boca de outrem, sem trilhar o fio de um pensamento.

Sabemos que um bom ouvinte pode sempre ser um bom falante. Já que quem fala muito, por norma, peca por não saber ouvir, pela falta de atenção ao que está a ser dito.

Todos ser humano espera ser ouvido e compreendido, mas são poucos os que se preocupam com a arte do “saber ouvir”. E isto pode fazer com que, quem ouve mal, ouça sempre algo mais do que aquilo que há para ouvir, dando origem as fofocas, boato, buxixo e outras coisinhas mais.

Por tudo isto, Propõe-se a reinvenção do ouvido, pois saber ouvir é uma arte em extinção. É verdade que a pressa e agitação do dia-a-dia nos obrigam a filtrar informação, mas nem sempre esta se filtra com qualidade e devida integridade. Ouvir atentamente ajudará na formulação da melhor resposta. Contribuirá para prevenir a tendência de dizer o que vem à mente sem reflexão sobre o assunto.
E nunca devemos nos esquecer que “a natureza deu-nos duas orelhas e uma só boca, para nos advertir de que se impõe mais ouvir do que falar” – Zénon. Para nos advertir que se impõe mais ouvir do que falar. Mas tem muita gente que parece q tem duas bocas e nenhuma orelha.